O que é a Endometriose?

O endométrio é a camada de tecido composto por glândulas e estroma, que recobre internamente a cavidade do útero, sendo responsável pela menstruação quando descama ao final de um ciclo menstrual. A endometriose é uma importante doença ginecológica caracterizada pela presença de tecido semelhante ao endométrio fora do útero, ou seja, em qualquer outro lugar do corpo.

Teorias que explicam a endometriose


Existem várias teorias descritas em épocas distintas que tentam explicar a(s) causa(s) provável(is) da endometriose. Entretanto, parece que nenhuma destas teorias consegue explicar isoladamente o que causa esta intrigante doença.


Embriológica: Foi descrita no final do século XIX. Esta teoria propunha que a endometriose se originaria de remanescentes dos ductos de Wolff (Von Recklinghausen, 1885) ou remanescentes dos ductos de Müller (Thomas Cullen, 1896; Iwanhoff, 1898; Russell, 1899), que sofreriam processo de metaplasia transformando-se em tecido endometrial.

Metaplasia celômica: Proposta por Iwanhoff e Meyer, esta teoria sugere que as células celômicas que são totipotenciais e que estão presentes no peritônio e nos ovários, podem ser induzidas a se diferenciar em endometriose. Irritações repetidas do epitélio celômico, associada a uma variedade de fatores comuns, estímulos hormonais ou infecciosos, podem induzir células celômicas a se transformar em tecido endometrial.

Implantação: Também conhecida como teoria da menstruação retrógrada ou teoria de Sampson foi proposta pela primeira vez em 1927 por John Albertson Sampson. Esta teoria propõe que o tecido endometrial reflui retrogradamente pelas trompas em direção à cavidade pélvica e se implanta na superfície peritoneal e nos órgãos pélvicos e abdominais. Apesar das evidências esta teoria não consegue explicar todos os casos de endometriose e porque a endometriose só ocorre em cerca de 10% das mulheres apesar da menstruação retrógrada ocorrer provavelmente todas elas.

Disseminação linfática e hematogênica: Estas teorias foram propostas para explicar a presença de endometriose em locais fora da cavidade peritoneal. Desta forma as células endometriais se disseminariam para outros locais através do sistema linfático e vascular. A disseminação linfática foi proposta por Halban.

Extensão direta: Esta teoria sugere que a endometriose decorre da invasão pelo endométrio ectópico da musculatura uterina e da invasão direta de outras estruturas contiguas ao útero, como Poe exemplo a bexiga e uretra.

Iatrogênica ou mecânica: Esta teoria foi proposta em várias publicações por diversos autores. Propõe que a implantação de células endometriais durante a cirurgia levaria a endometriose de cicatriz cirúrgica, explicando, portanto o aparecimento de focos de endometriose nas cicatrizes de laparotomia (cirurgia abdominal) e de episiotomia (parto normal).

Composta: Proposta por Javert, esta teoria propõe que uma combinação de várias teorias como da implantação, disseminação linfática/hematogênica e da extensão direta poderia explicar a endometriose.


7 comentários:

andrelina disse...

tenho endometriose ha 14anos ate agora nao fis a cirurgia sofro muito com dores vou ao hospital em sorocaba ha6 anos mas nao me opera gostaria de saber o porque?nao tenho recursos finançeiros mas mesmo com essa doença tive+2filhos nao sei mas se me puderem me ajudar agradeço muitoo meu medo e de ficar pior e morrer pois fas15anos com a doença. sou andrelina moro em itapetininga_sp fone32722965codigo15 no mais obrigada

ediane disse...

ha 5 anos sinto dores parecidas com a endrometriose,a 2 anos quero engravidar e nao consigo,vou fazer o ensame de infertilidade,dependendo do resultado devo pedir o ensame de endometriose a minha medica ou nao?
eu sofro muito,e meu marido nao sabe mais o que fazer.

Prof. Dr. Frederico Corrêa disse...

O diagnóstico de endometriose é baseado no quadro clínico e nos exames diagnósticos, e confirmado pela cirurgia (preferencialmente laparoscopia). O médico assistente diante do quadro e dos exames pode indicar a cirurgia quando achar necessário.

Nancy disse...

Infelismente, sou mais uma vítima desse mal, tive uma gravidez tubária aos 27 anos, quase morri! Tive emorragia!, Aos 33 tive um problema no ovário direito! Que tb foi diagnosticado que meu últero estava muito acima dos padrões normais! Fiz uma cirurgia para retirar essa pele! O Dr. diagnosticou que nunca mais sofreria com esse problema! Mas, como sou uma pessoa cuidadosa, desde os meus 23 anos sempre fiz preventivo! E sempre consta em minhas ecográfias aumento no útero, miomatose.., etc.. Estou com 44 anos, e ainda mestruo, e passo por constragimentos porque são muito intensos e inesperados...
Não posso tomar hormonios masculinos para deixar de mestruar, pois foi por causa de um deles que perdi meu ovário!
Minha pergunta é? Quando vou parar de mestruar! Pois já me resiginei e aceito que com esses problemas nunca irei engravidar! Qual a idade para parar de mestruar!!! Pois se for por estáticas, acredito que mais uma vez serei excessão.
Desde já agradeço pela atenção dispensada!

marcia e nene disse...

Tenho endometriose a mais de 20 anos. Agora apareceu uma massa no meu pancrêas , estou preocupada e me disseram que pode ser endometriose. Existe esta possibilidade? Na ultima video apareceu em trompas, utero, ovário bexiga e intestino.

Obrigada
Maria Regina

M.A.S disse...

ha 25 dias fiz cirurgia p/retirar endometriose,c/o dr.JOAO FRANCISCO na clinica LOS ANGELES em CURITIBA eja me sinto bem e livre das dores,graças a DEUS. EU TINHA ADERENCIAS na bexiga,intestino,tubas e ovarios e muita dor e nao consegui engravidar... M.A.S

simone disse...

simone.oliver2010@hotmail.com.tive endometriose e fiz uma cirurgia por vidio á cerca de 4 anos mas agora voltei a sentir os mesmos sintomas tenho muita dor no fundo da barriga na hora da relação ela pode voltar?